A proporção de idosos para pessoas na ativa será de 62 para 100 em 2075, segundo relatório

Em relatório divulgado recentemente pela OCDE, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o Brasil terá 62,3 idosos para cada 100 pessoas em idade produtiva em 2075. As informações foram divulgadas na última terça-feira (05), que mostram também que os gastos com benefícios de aposentadorias podem representar 17% de todas as riquezas do PIB até 2050.

Entre 43 países da OCDE, o Brasil foi o que apresentou a parcela mais alta do PIB. A projeção para daqui a pouco mais de 30 anos é que os gastos com esse setor representem 9,2%. O Brasil gasta hoje 9,1% do PIB com previdência, segundo o relatório.

De acordo com o especialista em finanças Marcos Melo, o envelhecimento da população é positivo, mas também pode ser um fator preocupante. Ele afirma que o sistema atual está montado com base no envelhecimento de 30 anos atrás.

“Houve um avanço social no Brasil nos últimos anos. Por outro lado, a forma como o sistema da Previdência hoje está montado, de fato, não é sustentável em longo prazo.”

Segundo o IBGE, entre 2012 e 2016, houve um crescimento de 16% no número de pessoas com 60 anos ou mais. Além disso, a expectativa de vida do brasileiro também subiu. Passou de 75,2 em 2015 para 75,8 no ano passado. Para o economista Newton Marques, o envelhecimento acelerado da população é um fator que precisa ser reavaliado.

“Todas as vezes que existe um aumento na esperança de vida da população, o sistema de Previdência tem que ser revisto.” O governo pretende votar ainda neste ano a reforma no setor previdenciário. A ideia é que o assunto seja colocado em pauta na segunda semana de dezembro.