100 mil armas devem ser destruídas pelo CNJ e Exército Brasileiro

Acordo de cooperação técnica entre a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, e o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, estabelece que o Exército Brasileiro receberá cerca de 100 mil armas de fogo e munições apreendidas e sob a guarda do Poder Judiciário. Todo esse material será destruído em dezembro.